quinta-feira, novembro 15, 2007

Making off de Shopping and Fucking

Foram duas temporadas de Shopping and Fucking. A primeira de março a junho de 2007 na Aliança Francesa, no Corredor da Vitória, e, a segunda, de agosto a outubro, na Sala do Coro do TCA. Christine (o ford landau vermelho 1958, nosso cenário) aprontou em todas elas. Para quem não lembra, vale refrescar em http://shopping-and-fucking.blogspot.com/.
Foram muitos os debates sobre a montagem... Nossa! Inclusive presenciais, nas faculdades da Cidade, FIB e Ufba.
Abaixo o making off do espetáculo. Comentem! Foi gravado 5 minutos antes de subir ao palco do último dia.
Elenco: Eu (Jussilene Santana), Celso Jr., Edvard Passos, Rodrigo Frota e Emiliano d´Avila.
Direção: Fernando Guerreiro; Assistência: Ciro Salles; Produção: Mário Dias.
Gravação: João Caçapava.

4 comentários:

Anônimo disse...

Jussi, achei que o making off de Shopping poderia ser maior... Senti falta dos depoimentos do diretor, produtor, enfim, dos demais integrantes da equipe.
beijos

Fernanda Bezerra

Andrea disse...

Jussi, assisti!
Fiquei me perguntando: salvador é ou não uma "cidade-urbana"? Como um dos atores se pergunta... o que cabe neste palco? aquelas viagens nossas...
o que interessa aos baianos?
Particilarmente, detesto comédia baiana. mas sempre me achei uma minoria da minoria...não por isto ou aquilo, de elite, mas de gosto "da cidade", sei lá...
aqui em são paulo é outra história... bom, mas nao é questão de comparar...também nem sei, tô comparando, né? sei lá mil coisas... vc sempre me convida para escrever e, quando tento, olha lá o que saiu!... ;oP

saudades, estarei aí no Natal.
vamos nos ver.
beijos,

Déa

Fernanda disse...

hahaha você postou antes de mim! Então concordo com que o anônimo acima disse!

rodrigo disse...

O "mercado" em teatro nesta cidade gira em torno da comédia. Diga o que quiserem dizer os esclarecidos. Quem resolve fazer uma coisa fora disso se ferra... Não se consegue qualquer dinheiro/patrocinio para montar peça realmente artísticas. Agora então que tuod é cultura? que tudo é arte-educaç~´ao? piorou

E Quem monta tirando do bolso hoje? Ninguém é louco! Por que não vai ter nada em troca. Mesmo com dinheiro de patrocínio, que não dá para nada, se paga a equipe técnica, mas claro que nada vai para os atores/artistas, que arriscam a vida no que der na bilheteria.

Como não há um sistema apoio, preparo do público para peças que não sejam comédias, imagine como não é "lotada" as bilheterias.